Translate

ENOEVENTOS - NADIA JUNG

Loading...

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Vinho é a nova aposta "paixão" dos gestores de fundos!




Bem há pouco tempo postei sobre o vinho como investimento, e tambem um link para consulta quanto ao assunto, para o aprofundamento de alguns que se interessassem...

Essa semana tive uma aula na faculdade com uma financista e apaixonada por bolsa, investimentos, fundos, e blabla...e que também faz alguns cursos e viajens de vinhos!
E posso afirmar, que ``estamos`` tendo aulas e grandes aprendizados neste tema ate hoje, mesmo aqueles que não se interessam tanto pelo assunto o veem com muito interesse....

Pois além de tudo o vinho é a nova aposta "paixão" dos gestores de fundos!

Em tempos de crise econômica, os gerentes de ativos estimulam oferecendo produtos financeiros de investimento inicial como a "paixão" pelo vinho
para os`` decepcionados`` com os retornos dos mercados de capitais e de títulos.

Vinho, florestas, manuscritos antigos, cavalos de corrida, relógios, carros antigos ... pode ser objeto de investimento como parte de empresas ou de fundos mútuos (FCP).

O vinho - incluindo vinho fino, atualmentr,segundo os especialistas do setor são o produto da bolha especulativa do mercado!


A sociedade gestora do fundo Financière d'Uzès se atreveu a dar o salto e lançou recentemente um fundo mútuo de grandes vinhos.

"A idéia é considerar uma garrafa de vinho como um investimento, um novo tipo de ativo, pois ele pode ser uma ação, e mover-se de um consumidor a uma lógica financeira", explica o gerente geral do gerente, Dominique Goirand, lembra seu fundo é o primeiro de seu tipo na França declararam para a Autoridade de Mercados Financeiros (AMF).

( Autorité des Marches Financiers )

Disse, mas não foi aprovada, disse um profissional do setor: este fundo é "contratual", ou seja, para uma clientela exigente de investidores com a experiência relevante.
Para entrar é preciso um investimento mínimo de 250.000 euros.

Os grandes vinhos, adquiridos pelos Uzès financeiros, são escolhidos de acordo com uma especificação precisa.


"Nós compramos os vinhos que parecem estar abaixo do seu preço real depois de fazer uma análise profunda", diz Hugues Lapauw, analista da Uzès Gestão, mas também produtor de vinho.


O objetivo do fundo é investir 75% em vinho, pelo menos 50% de vinhos finos de Bordeaux e Borgonha, acrescenta.

O objetivo, é moderadamente ambicioso no contexto atual, é para alcançar um desempenho superior ao dos títulos franceses a cinco anos.

O fato de que este fundo é declarado pelas autoridades franceses do mercado de ações dá um estampa de respeitabilidade em relação a outros fundos similares, uma vantagem importante em um setor onde há aumento da concorrência em países como o Luxemburgo ou em países com carga tributária baixa.



Um dos mais conhecidos é o do Luxemburgo "Nobres Crus", que quer criar "emoção em finanças", investindo em grandes vinhos finos e vinhos raros de apostas ou muito velhos.

" Investir nas primeiras safras e apostar nos vinhos muito antigos e raros.
Seus gestores apontam para uma performance, desde a sua criação em janeiro de 2008, 71,5%.


Outras empresas também estão se expandindo na França sob o tema do vinho, como "Património Grand Cru", que propõe comprar de volta ações em um porão, "A Pastora" ou "Patriwine" que vendem a sua empresa de comércio de vinho .


No entanto, devemos lidar com este tipo de investimento com cautela, como diz Anthony Calci, um gestor independente que não hesita em qualificar-se para produtos financeiros "exóticos".





Nenhum comentário:

Postar um comentário