Translate

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Uvas de Savoie

Variedades viníferas

Com as variedades brancas jacquère, roussanne, altesse e gringet, e tinta mondeuse, Saboya provavelmente mantém o recorde das variedades de uvas mais originais, ou ao menos as menos infrequentes, e as que menos têm viajado, tão ancoradas ao solo estão que não podem crescer em nenhum outro lugar.

Brancas

  • Jacquère (uva tradicional de Saboya, a mais estendida)
  • Roussanne ou Bergeron (Chignin)
  • Altesse ou Roussette (também pode se ver escrito rossete). Altesse é segunda fermentación de um alvo seco jacquère com um licor baseado na altesse (roussette). Tem o vigor de jacquère e a fineza de roussette. Veio relativamente raro. Servir a 10ºC.
  • Gringet
  • Chardonnay
  • Chasselas
  • Molette blanche (Vinho de Seyssel)

Tintas

  • Gamay (a mais estendida)
  • Mondeuse (cepa tradicional de Saboya), emparentada com o syrah. Produz um vinho tinto com cores azulados, geralmente reconhecido como um tônico excelente. Frota facilmente na boca com aromas de violeta, fresa e frambuesa, e é um tinto "com corpo". Seus taninos suavizar-se-ão com o tempo e podem emergir toques de noz. Deve manter-se, entre 6 e 10 anos; serve-se a temperatura de ao redor de 16ºC.
  • Pinot noir. Produz um vinho de alto conteúdo alcohólico (12-13ºC) e uma fina cor escarlata. Um vinho vivaz, com corpo e abundantes indícios de fruta e perfumes delicados. Embriagador inclusive quando é jovem, este vinho mesmo assim ''manter-se-á muito bem e fá-se-á mais suave'' com o tempo. Serve-se a temperatura ambiente.
  • Persan (uva) (antiga variedade, cultivada de novo por alguns vinhadores)

Gastronomia:

A maior parte dos vinhos de Saboya devem desfrutar-se jovens, particularmente os vinhos brancos de jacquère, que produz vinhos ligeiros, que são florais e frescos. Mais ricos e estruturados, os roussettes atingem um equilíbrio após 2 ou 3 anos de manejamento. O mesmo vale para mondeuse que envelhece notavelmente bem e suaviza seus taninos conforme passa o tempo.



Notas e Referências do Artigo:


Viva o vinho!